sexta-feira, 29 de julho de 2011

You know that I'm not good...

Fala moçada...

Muuuuuitos meses que eu não conseguia sentar pra postar nada, por falta de tempo, por falta de assunto...
Infelizmente, hoje me animei a escrever, mas não "infelizmente" porque estou aqui escrevendo mas pelo assunto que quero falar. Quero utilizar esse post como uma homenagem a artista que foi Amy Winehouse, que amanhã completa 7 dias de morte.


Amy Jade Winehouse nasceu em Londres, no dia 14 de setembro de 1983, e iniciou profissionalmente sua carreira músical com a música Stronger than me, do cd Frank, em 2003. Eu, só a ouvi pela primeira vez 4 anos depois em 2007, quando ouvi e vi o clipe de Rehab, do cd Back to Black, e foi quando me encantei pela cantora maravilhosa que ela foi, e acredito que isso, ninguém poderá negar... Eu lembro de ter comentado com a minha irmã, durante o clipe, e sem conhecê-la: "Nossa, que mulher poderosa, rebelde, que voz potente, ela deve ser muito forte, muito segura de si..."

Os escândalos que sucederam o sucesso alcançado por ela com o lançamento de Back to Black pode ser explicado através de suas músicas: o amor cego que ela sentiu por Blake Fielder, que a iludiu, abandonou e antes disso conseguiu iniciá-la em drogas pesadas como heroína e crack, possivelmente dois dos principais responsáveis pela sua morte. Acho que não se pode somente culpá-lo, muitas outras razões a arrastaram pra esse vício, porém várias vezes, por pessoas diferentes próximas a ela, soubemos a forma como Blake a levou ao consumo de drogas mais pesadas, e ela mesmo diz isso, quando fala na música Back to Black o quanto aquilo era um divisor no relacionamento dos dois: "I Love you much, it's not enough, you love blow and I love puff" (Eu te amo muito, mas não é suficiente, você ama o pó e eu amo a erva).
Amy era tímida, e abusava da bebida no começo pois desde o primeiro show quase tinham que empurrá-la ao palco. Por vários momentos, em vídeos podemos ver o quanto ela está inquieta, desconfortável no palco, e o quanto cantar sobre a dor pela qual ela passava, cantar sobre o quanto aquele relacionamento a havia machucado a feria, e ao mesmo tempo expurgava aqueles maus sentimentos...
Dos vários shows que a vi fazer através de vídeos (infelizmente não tive e não terei o prazer de vê-la ao vivo), entre os ótimos, ruins e péssimos shows, o meu favorito é o que ela fez no BBC sessions em Agosto de 2008. Parece ter sido o mais sincero, em que podemos ver claramente sua dor em Back To Black por exemplo:


Ao fim, eu imagino que ela tava chorando... Mas era preciso segurar esse choro, era uma sequência, pessoas que estavam ali só pra ouvi-la e vê-la...
Em You Know That I'm no Good também é possível ter essa mesma impressão:


Amy morreu aos 27 anos, como alguns outros grandes artistas, Kurt Cobain, Janis Joplin e Jimi Hendrix. Amy não foi um exemplo pra ninguém com relação a sua vida pública e pessoal, a não ser um exemplo a não ser seguido. No entanto, Amy brilhou naquilo que sabia fazer bem: Cantou lindamente, escreveu canções imortais, canções que serão a herança que ela nos deixou e era a razão pela qual eu fui e sou uma fã do seu trabalho.
No dia de sua morte, chorei e vivi o luto de sua perda, por mais incrível que pareça, senti realmente sua partida. Fico triste por saber que aquela mulher que vi no clipe de Rehab, não era a mesma mulher que morreu no dia 23 de julho de 2011, mas alguém que atualmente sofria somente críticas pelo seu comportamento, debilitada pelo uso abusivo de tantas drogas.
Mas é a mulher que está no clipe de Stronger than Me (vou postá-lo aí embaixo pra vocês) que eu vou lembrar pra sempre, sabendo que agora a sua alma torturada pela dor que sentia está livre...

E o anúncio que sempre acontecia no início e no fim do show:

Ladies and gentlemen: Miss Amy Winehouse!




Amy, valeu. Espero que agora você esteja num bom lugar.

Bjoks sussurradas... 
Whisper. 

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Back again

Olá meus amores, tudo bem? espero que sim, depois de séculos vou postar... e por uma ótima causa! na verdade esse post não vai ter nenhum aviso ou cabeçalho extra, só queria aproveitar e Parabenizar a nossa Dama pelo seu aniversário, final do mês passado. e a todos os aniversariantes do momento incluindo a queridissima Irmã da Whisper! Outra coisa comecei a mudar a carinha do Malditos, acho que todo mundo percebeu... pois que quero feed back, comentem se gostaram ou não e o que mais pode ser mudado, lembrando que não faço webdesigne ok! bem longe disso na verdade!

Então vamos começar... o motivo de estar aqui hoje é simples... INDICAÇÃO, antes de explicar isso gostaria MUITO de agradecer o Vinicius, que é um amor de pessoa, tem um blog ótimo e além disso faz uns shows pela twitcam, dos quais já estou sentindo falta! olha ia os blogs dele: http://cotidianocgs.blogspot.com, http://vcgs.blogspot.com/ e o twitter: @vinicius_cgs

Podia ter feito esse post no meu blog particular, mas vamos prestigiar o Malditos neah gente... divulgação é sempre bom! então vou as explicações. Está rolando aqui na net uma coisa muito legal, tipo a união dos superblogueiros (é desculpa o animo é que tou com X-men na cabeça). Na verdade trata-se da campanha "UNIDOS PELO BLOG" onde cada blogueiro indica outros a responder um questionário, e passa o selinho da campanha pra frente... e o Vinícius ai em cima de indicou, olha que legal... assim sendo vamos ao questionário.

o selo da campanha oh

Sobre Você:

Nome: Elisa
Idade: 21 anos (por puco tempo)
Aniversário: 12 de junho
Emprego: Estudante de farmácia e twitteira de plantão
Estado Civil: De rolo serve?
Onde vive, casa ou apartamento: Casa
Irmãos: filha unica, mais ou menos, morram de inveja
Animais: tou órfã de animais, mas aceito um pug
Fuma: cigarro de palha bem de vez em quando
Bebe: é bom neah!

Aparência

Piercings: Não
Tatuagens: 3, uma no ombro, uma no pescoço e uma na perna,
Aparelho nos dentes: movel para dormir, mas ja usei fixo e "freio de burro"
Roupas: é eu costumo isar pra não ir presa (atendado ao pudor) -brinks, sei la nada muito modinha
Cor dos olhos: Castanhos.
Cor do Cabelo: Castanho escuro, mas tá numa cor muito estranha no momento, meio cobre por ai

Favoritos

Cor: Preto, amarelo e verde eu acho.
Número: nossa 12, 13, 3, 7, ai num sei 31??
Animal: Cães <3
Flor: lindas, prefiro elas na terra não em arranjos
Comida: massa, (lasanha, macarrão, pizza)
Sabor de Sorvete: GRAVIOLA
Doce: Chocolate/ Doce de figo também é bom
Bebida Alcoólica: Cerveja, Caipiroska, Vodka,
Tipo de música: principalmente rock de qualidade, mpb também é bom
Banda/artista: Maroon 5, Kings of Leon, Muse... Cazuza, Cassia Eller, Maria Gadú, Ana Carolina
Música: because of you - Kelli Clarkson (marcou uma fase)
Livro: estou lendo no momento: "A sociedade secreta: Sob a Rosa - Diana Peterfreund "
Filme: o filme que teve grande destaque nos ultimos tempos : Cisne Negro
Programa de TV: seriados principalmente One Tree Hill
Melhor amigo: é brega mas fodas, a minha mãe <3
Dia da semana: Sexta, porque não tenho aula!
Esporte: prefiro assistir, jogar nem tanto, mas tennis é bacana

Vida Amorosa (pulei essa parte bonito e nem ligo )
Nome da Pessoa Amada:
mas eu não tou amando ninguém
Estão juntos há quanto tempo: ---
Local em que se conheceram: quando souber aviso
Foi amor á primeira vista? isso não existe
Quem deu o primeiro passo? ---
Já deu flores: ---
A coisa mais doce que ele te deu: ----
Um sonho de vocês dois: ----
Uma curiosidade do casal:----
Quem tem mais ciúme: ----
Ela se dá bem com a sua família? ---
E você com a dela? ----

Outros
Sabe dirigir? Sim, carro, habilitação a 3 anos
Tem carro/moto? No meu nome,não.
Fala outra língua? Inglês, só... chega neah?
Coleciona algo? Não
Fala sozinho? o tempo todo, inclusive agora
Se arrepende de alguma coisa? NÃO
Religião: Católico
Confia nas pessoas facilmente? Nem a pau Juvenal, tem hora que não confio nem em mim, nem em pai, mãe... só Deus mesmo!
Perdoa facilmente: Sou meio rancorosa, desculpa mas é verdade!
Se dá bem com os teus pais? na medida do possivel, é uma relação de amor e ódio basica, nada de mais
Desejo antes de morrer: conhecer todos os meus ídolos (se bem que alguns ja morreram ai neah)
Maior medo: De perder quem eu amo.
Maior fraqueza: Sou teimosa, egoista mas o pior é NÃO saber confiar nos outros
Toca algum instrumento? não toco nem galinha

Alguma vez...

Escreveu alguma poesia: aha, sim, principalmente quando era mais nova, escrevia muitas... inclusive uma para um amigo falecido
Cantou em público? Bebada com a galera, ou alto o suficiente que os vizinhos ouviram, só!
Fez alguma performance em palco? Na escola, váaaarias vezes, formartura da 4° série, nos concursos do cursinho de inglês, e até ganhei premio com o meu grupo!
Andou de Patins? Sim, se cair de patins vale, eu ja "andei" de patins
Teve alguma experiência que quase morreu?
Nada que eu me lembre, só se reprimi alguma coisa, um capotamento de carro, ah é DENGUE HEMORRÁGICA, internação e aquela coisa toda.

És...

Sorriu sem razão? Sim, ai fiquei com raiva que era pra estar brava e não rindo
Riu tanto que chorou? Claro, com os amigos loucos
Lutadora: sim, quando cismo com alguma coisa corro atrás!
Mandona: até de mais, e adoro mandar!
Amigavél: só com que acho digno da minha amizade
Sonhadora: as vezes preciso de um choque de realidade, adoro sonhar imaginar, e acho ruim sair do sonho e encarar a vida
Timida: já fui, agora sou bem cara de pau!
Energético: quando não estou dormindo, que é grande parte do tempo, adoro fazer coisas animadas
Feliz: tentando
Depressiva: mais do que queria
Engraçada: o povo sempre acha (ou são falsos a ponto de falar que sim)
Chato: de mais e nem ligo.
Malvada: Só depende de você ¬¬ (tive que copiar a resposta muito boa Vinicius)
Confiável: Sim, eu acho
Esperta: sim, mas tem hora que sou cabeça oca
Dependente: as vezes, mas não muito, odeio ODEIO depender dos outros
Quieta: só quando a depressão bate
Estranha: me acho estranha sim! fazer o que?
Modesta: as veze, mas gosto de receber elogios, melhor que me gabar
Indecisa: siiiiim, dependendo do assunto
Educada: Só quando eu quero, ou acho necessário
Criativa: eu tento neah
Preguiçosa: ai pecado, vou pro inferno sou muito preguiçosa
Assustadar: intimidar até consigo mas com a minha altura não assusto nem cachorro pincher 0
Otimista: não, não crio expectativas pra não me decepcionar
Curiosa: MUITO
Determinada: isso não se aplica no "Lutadora?" siiim
Honesta: sim
Teimosa: Claro, sempre
Romântica: NÃO nem um pouco,necas, ai credo
Ciumenta: tenho ciúmes de poucas pessoas e coisas, e se você é uma delas fique feliz
Sincera: Geralmente sim, chego até ser grossa
Tolerante: não... ai não tenho paciência nenhuma, respondo na lata, faço cara feia, sei lá
Racional: Tento
Pontual: Demais, odeio atrasos

Mais...

Como você está se sentindo hoje: com preguiça e sono e preguiça já disse?
O que te faz feliz: Escutar aquela musica especial, ler um bom livro! caminhar sem ninguém por perto
Com que roupa está agora? Short azul, camiseta com a estampa no evanescence, chinelo havainas com a correia arrebentada
Cabelo: pra trás, milagre estar penteado O.o
Algo que você faça muito: dormir, ouvir musica, escrever, ficar na internet
Conhece alguém que faça aniversário no mesmo dia que você? Não, que eu me lembre a data já é ruim por si só
Está confortável com o teu peso: Não, emagrecer uns 20 quilos seria muito bom!!

Acaba a frase...
Gostaria de ser... ninguém mais ninguém menos do que eu, só que mais magra, rica e formada!
Eu desejo... que meus sonhos se realizem
Muitas pessoas não sabem... que eu sou mais malvada do que pareço
Eu sou... chata pra caramba, sarcástica, azeda, mas ainda tem gente que gosta de mim!
O meu coração é... formado de músculo cardíaco, átrios, ventrículos, nós... e sangue!


putz chega, isso tá pior que minha ficha na policia e sim eu tenho uma ficha na policia e você também deve ter, vai admita! enfim acabou e até que eu gostei de responder! Meus indicados são:

ELIANE ótima autora linda e fofa de plantão (http://elianeraye.blogspot.com)http://www.elianeraye.com.br

acho que é isso espero que meus companheiros de malditos tenham gostado e se quiserem responder o questionário também, fiquem à vontade!! por hoje é só... volto com novidades! xoxo Queen E.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Apresentação de Personagens III


Clã Gangrel (Animais):

Martim (Kivanc Tatlitug)

Filhos de Lilith:
Josh (Michael Sweet)



~~~~~~~> SOBRE O CLÃ GANGREL (Animais): No começo dos tempos quando Deus criou Adão, ele fez para ele uma esposa, seu nome não é Eva como todos pensam, era sim Lilith. Criada do mesmo barro que Adão, Lilith se demonstrou, feminista demais para permanecer ao lado daquele que Deus escolhera para ela ficar, e Adão se queixando disso a Deus, fez com que Lilith fosse expulsa do Jardim do Éden, para nunca mais voltar. Foi então que Deus tirou do próprio corpo de Adão, sua costela e com isso Eva nasceu para servir os desejos de Adão. Lilith então partiu, para a floresta que estava fora do Jardim do Éden, mas Lilith não ia sozinha, para fora do Jardim, ela levava em seu ventre vidas que mais tarde descenderiam a nossa espécie. Lilith pariu sozinha na floresta, sob os cuidados de uma equipe médica um tanto quanto diferente, esta equipe era formada por apenas animais. Sim, os grandes predadores, que naquela época não sabiam seus nomes ou se eram predadores ou presas, estavam ajudando aquela que fora expulsa do paraíso, eles nada fizeram com Lilith apenas a ajudaram. Eram cinco os animais que ajudaram Lilith, a parir as 4 crianças que estavam em seu ventre. Cada criança fora dada para um dos animais, sendo a primeira criança para a um Urso, a segunda para um Lobo, a terceira a um Tigre e a quarta criança a Serpente. Infelizmente esta criança da serpente nascera morta e por isso a serpente fora embora junto com o quinto animal que é apenas descrito como "fera". Cada animal levou as crianças para serem criadas da forma que eles desejavam. Estas crianças tornaram-se ancestrais dos zoantropos, os quais chamamos de Lupinos ou Lobisomens. Uma das filhas de Lilith, cujo nome chegou a nós como Ennoia, foi criada pelos lobos. Até mesmo depois que os lobos souberam que eram carnívoros e passaram a se alimentar de outros animais, continuaram cuidando dela como se fosse um membro de sua matilha. Quando Ennoia cresceu, ela tomou o lobo mais forte da matilha como seu marido e deu-lhe muitos filhos. Alguns foram como ela humanóides, outros eram como o pai e corriam livres como ele. Mas ainda sim dentro de cada um deles existia a semente do outro fazendo assim a existência dos Lupinos como nossos ancestrais. Os tempos passam e Ennoia fica cada vez mais insatisfeita com a sua vida, e deixa a matilha para viajar pelo mundo imortal como seus pais, ela vagou sozinha por muitos anos, finalmente chegando a uma cidade erguida pelos seus meios irmãos, os descendentes de Adão e Eva. Sua grande beleza e natureza ligeiramente mundana fizeram com que ela fosse bem recebida em Enoch. Ela residiu na primeira cidade por muito tempo, até que numa série de incidentes semelhantes aos que muito mais tarde envolveriam Helena de Tróia, ela se tornou fonte de discórdia, nesta porto-cidade. Por fim Lilith resolveu partir, mas não antes de dar filhos a muitos de seus amantes. São destes filhos que Lilith deixou na primeira cidade que descendem os ciganos. Mais uma vez ela vagou pelo mundo, sozinha como uma forasteira, como uma nômade ou se preferir como uma cigana. Em qualquer lugar que ela parava, sua presença causava discórdia e ela era expulsa.
Finalmente, muito depois de seu sangue ter se misturado ao dos filhos de Adão e Eva, ela encontrou um dos filhos de Caim, que a convenceu a retornar a Enoch, a primeira cidade. Ela não poderia satisfazer os próprios apetites, mas isso tinha pouca importância, pois ela provou ser interessante de outras formas. Em sua paixão um pelo outro, não tardou muito até que ela fosse abraçada.
É dela que descendem todos aqueles que são conhecidos como forasteiros. Os Gangrel. Com ela aprendemos a língua dos animais, e como mudar nossa forma para nos assemelharmos a eles, para que possamos defende-los e usarmos de suas habilidades para nosso próprio fim. Dela também obtivemos nossa licença parra correr o mundo em liberdade. Assim como a árvore genealógica dos Lupinos tem o seu ápice nos dias em que Lilith respirava, nós podemos marcar nossa origem no momento em que ela bebeu do sangue de um vampiro e parou de respirar. Mas nós lembramos, embora os nossos meio-irmãos, Lupinos já tenham esquecido, que possuímos uma mãe em comum nos dando força para sobreviver no mundo que nos assola hoje em dia. Os gangrel são vampiros selvagens que possuem traços e tendências animalescas. Permanecendo raramente em apenas um lugar, os gangrel são viajantes nômades, que só ficam satisfeitos quando estão sozinhos sob o manto negro da noite. Seu criador foi, segundo boatos, um bárbaro; ao contrário dos outros clãs, e por este motivo, os gangrel freqüentemente abraçam estranhos. Distantes, indiferentes e selvagens, os gangrel costumam ser indivíduos trágicos; apesar de odiarem as cidades demasiadamente populosas e apertadas, a presença de lobisomens nada amistosos impede que muitos gangrel fiquem livres de seus confinamentos.
*Nota: Todo mundo percebeu que o rostinho do moço da foto é bem perfeitinho né? Pois é, o Martim seria assim no momento da sua tranformação em vampiro. Este Clã tem uma "maldição" sempre que os vampiros destes clã entram em Frenesi(ficam sem sangue no organismo morto. O que é bem comum, principalmente num novato) os gangréis perdem os traços de humanidade da suas feições e em troca disso ganham uma característica animalesca. O Martim por exemple tem o nariz e a boca projetados para frente no rosto, passa-se perfeitamente por uma pessoa de boca bem (bem mesmo) grande e muito (mas muito pior que o Luciano Huck) nariguda. O Martim também tem as unhas compridas em forma de garras e ele têm muitos pêlos nas costas da mão, tal como um super "malett" (acho que escrevi errado) bem estranho atrás, pois se parece com pêlo de cachorro e é preto.


~~~~~~~~>>SOBRE O CLÃ FILHOS DE LILITH: Nos dias de Caim, quando ele e suas crianças andavam pela Primeira Cidade, Lilith apareceu a uma das crianças de Caim, sem o conhecimento dele. Lilith contou ao filho de Caim o que estaria por vir, onde uma grande guerra seria travada por eles, mas está guerra seria dos filhos de Caim, os seus grandes filhos revoltados com o grande pai. Ela contou também que ele deveria esconder este fato dos demais e principalmente dos netos de caim, pois se não o fizesse a morte final seguramente cairia nele. Lilith lhe ofereceu abrigo, a fim de evitar a tempestade iminente, sim, Lilith tratava este filho de Caim melhor do que qualquer outro. E atendendo às advertências de Lilith, o vampiro foi com ela e se esconderam no deserto. E ao longe assistiram os netos de Caim lutarem contra seus antepassados e os destruírem. Amedrontado, o filho de Caim questionou, e se eles o procurassem, obviamente ele sabia que sua morte final seria certa. Consolado por Lilith, ela disse que ele estava seguro em suas mãos e que ela havia tomado todos os cuidados. Novamente certa, os netos, satisfeitos com a caça, não procuraram pelo filho de Caim ali escondido, tendo passado muitas noites ao lado de Lilith. (texto se perdeu) ...melhor do que seus irmãos, porém uma criatura chamada Jahared sondou a mente do filho de Caim. Ele falou aos outros, que lhes mostraria o outro filho de Caim, bem como seu abrigo. E deste modo, ele acreditava que teria Lilith. Os netos de Caim aceitaram sua proposta, e o trouxe para os seus. Jahared mostrou aos netos de Caim o lugar onde o antepassado deles e o seu também estava, e dizia dele estar sozinho, pois Lilith havia deixado o abrigo, curiosamente a procura de Jahared. Então os netos entraram e uma grande batalha aconteceu, Jahared forjou uma grande destruição no abrigo, e o corpo agora sem nenhum ar de vida do filho de Caim foi levado por um conhecido de nome Hakkim. Jahared alegrou-se com a morte de seu antepassado, pois agora acreditava que Lilith seria dele, só dele. Passou algum tempo só, pois Lilith ainda não voltara, Jahared fez um outro abrigo no deserto e criou crianças para acompanhá-lo.Lilith voltou ao abrigo tempos depois, e vendo o assolamento forjado ao longo do tempo em que estava fora, ela questionou Jahared. Jahared disse que o filho de Caim foi morto pelos netos de caim, que o forçou a dizer a localização do antepassado deles. Lilith sentiu que ele mentia, e ficou enfurecida por não acreditar que este homem seria capaz de tal coisa. "Amaldiçoado é você, Jahared, porque mentiu a mim, e conspirou a morte de seu antepassado. Seus crimes são grandes, e eles originam da luxúria dentro de sua alma." Lilith amaldiçoou Jahared, e o enviou ao sono da morte, banindo ele das terras de Caim. Lilith levou as crianças de Jahared e os colocou em sua custódia, porque além de terem perdido seu antepassado, estavam perdidos no deserto. Ela os ensinou que o antepassado deles tinha os abraçado em cima de uma mentira, e que eles nunca seriam vítimas do crime dele, isto se quisessem aprender com ela a crescerem fortes.
As crianças de Jahared concordaram e aprenderam de Lilith os poderes da verdade e os modos da noite. Eles aprenderam e cresceram fortes como Lilith havia prometido, porém ficaram escondidos de seus irmãos porque Lilith preferia assim. Ela falou a seus filhos que deveriam unir seus irmãos a partir daquele dia, para a batalha que virá, porque Jahared e os outros netos de Caim desejaram que um dia todas suas crianças encontrassem a morte final em suas mãos. Depois do dia em que Lilith os deixara, eles emergiram eventualmente no mundo, e se disfarçam dos outros irmãos e esperam o tempo em que Lilith irá permiti-los no mundo.Todos Os Filhos de Lilith são responsáveis pelo segredo do clã e morreriam sem contar a verdade. Este clã também tem notavelmente baixas instâncias de duplicidade ou motivos subseqüentes, devido novamente ao pequeno número que existem de Filhos, isto também está relacionado às convicções deles.A disciplina Sublimado carrega uma estranha maldição, ela só pode ser usada por um Filho de Lilith, se um Filho ensiná-la a outro vampiro, este quando for usar de seus novos conhecimentos morrerá, bem como quem o instruiu.
*Nota: Sim, Josh não foge a nenhuma regra que move o seu Clã...Todos pensam que ele pertence á algum Clã, mas ninguém, nem Pierre e Davi, que supostamente são seus melhores amigos sabem qual clã é esse. A única coisa que Pierre realmente sabe, é que eles têm uma forma telepatia um como outro. Pierre confia nele cegamente, mas Josh não confia cegamente em ninguém.


~~~~~~>>> Novamente espero estar agradando...
~~~~~~~>>>>Mein Herr, Ich Liebe Dich!!!! Küsses und Küsses!!!


...A Dama Da Noite...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Apresentação de Personagens II - Clã Filhas(os) do Som


Davi (Will Kemp)


Leona (Evan Rachel Wood)


Aída (Modelo Anônima)


Clarissia Vielmont D'Voyalle (Natalie Portman)



As Filhas da Cacofonia, que também possuem alcunhas de Cantoras, Filhas do Som e Sereias, apesar do seu nome clássico, são um fenômeno moderno. Nenhum vampiro diz ter ouvido falar delas antes do século 18 e, se elas existam, os vampiros têm certeza de que saberiam. As Filhas, são mestres da música, que muitos vampiros acreditam ser uma dissidência dos Toreador, embora todos que já estiveram sob a ação dos seus poderes acreditem que elas receberam mais influência dos Malkavian.

As Filhas da Cacofonia são cantoras sem igual, mas suas melodias harmoniosas não são o maior motivo da sua fama. O dano que tais músicas provocam na mente é que a tornam famosas.

Os Toreador tem duas coisas na mente ao lidar com elas. Eles não podem negar que as Filhas tem perícias incríveis na sua arte mais que qualquer Toreador tenha um dia sonhado. Ainda sim, as músicas por elas cantadas podem ser tão horríveis quanto bonitas, e não se pode saber a intenção delas até que eles entrem em ação.

As filhas são uma Linhagem de Sangue pequena, que vive principalmente no Novo Mundo, e seus membros só abraçam quem demonstra um talento para o canto. Muitos dos membros criam mais que uma Criança por vez. As Crianças aprendem dos seus Senhores por muitos anos antes de serem lançadas no mundo.

A presença das filhas no velho mundo (Europa) é baixa, porém existe. A presença de homens no clã é praticamente inexistente, mas eles também existem e neste caso são conhecidos como Filhos da Dissonância.


~~~~~~> Ficamos assim meu amores... Espero que estejam gostando.
~~~~~~~>> Mein Herr, Ich Liebe Dich!!!! Küsses und Küsses!!!!


...A Dama da Noite...


terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Apresentação de Personagens - Clã dos Artistas

Raven/John(Ville Valo)


Nicolai(Richard Gere)


Lisandra(Constance Rudert)


François Villon(Antônio Banderas)



Pierre Legrand(Angus Sutherland)



~~~~~~> Queridos, primeiro Clã a ser apresentado, o Clã dos Artistas. Dos vampiros, são os mais sociáveis, aprendem tudo muito rápido, e podem aprender quase tudo. Tem um talento descomunal para a arte, o clã é sobrenaturalmente ligado a beleza e estética. Os membros do Clã da Rosa vivem em um mundo de escuridão e, para fugir de tudo que há de repugnante neste mundo, eles ignoram aquilo que não for belo, buscando assim a perfeição. Os Artistas gostam da sua pós-vida, e aproveitam-na ao máximo, o que lhes valeu o apelido pejorativo de "degenerados". Em busca da beleza os Artistas imitam os humanos, mesmo sabendo que jamais serão humanos novamente. A Máscara, princípio criado por um dos seus, é a lei que garante o estilo de vida Artista, que vêem nos humanos não apenas a presa, mas também família, amigos e amantes. A maior fraqueza dos Artistas é a sua sensibilidade à beleza. Eles se cercam tão reflexivamente de elegância e luxo que muitas vezes se perdem na perseguição interminável de vícios e mais vícios. Alguns do clã passam a se preocupar com mais nada além de seu próprio prazer contínuo. A reputação do clã inteiro é afetada por seus excessos. Pode-se afirmar que a existência dos Artistas tem como combustível maior não o sangue, mas a paixão e, em raras ocasiões, o amor. O Clã dos Artistas tem por característica o fato de que seus membros não perderam a fagulha que move os humanos, sendo tão capazes de se encantar quanto de encantar os outros. Por isso mesmo, os Artistas costumam se misturar facilmente aos humanos, pois conseguem reproduzir o que diferencia mortais e imortais: sentimentos.



~~~~~~>> Amores... Bom é isso ai...Toreador, que leva a alcunha de Artistas, embora não tenham as disciplinas mais aperfeiçoadas e roubadas, é um dos meus clãs favoritos de rpg. E é exatamente por conta disso tudo, dessa chama humana que brilha em cada um deles, mesmo em um vampiro antiqüíssimo como o François Villon, mas nada garante que essa chama humana seja a bondade, afinal, nenhum vampiro é abraçado por estar rezando. Muita coisa do universo White Wolf foi inspirado nos romances da minha diva suprema da literatura Anne Rice (fato), e eu percebo essa influência claramente no clã Toreador, como não lembrar de Lestat de Lioncurt, não é verdade?
~~~~~~>>Espero que tenham concordado com a escolha dos personagens... Mas se não concordaram, abram o verbo.... rsrsrs.... Adoro Vocês!!
~~~~~~~>>> Mein Herr, Ich Liebe Dich!!! Küsses Und Küsses!!!

...A Dama da Noite...

sábado, 1 de janeiro de 2011

TOLERÂNCIA

Acordei com o espírito para escrever. Talvez vocês não concordem com metade do que vou dizer aqui, talvez percam minutos de suas vidas lendo minhas palavras, mas acho que a musica “Os Anjos” do Legião Urbana me despertou alguma coisa que estava adormecida e escondida dentro de mim. Queridos, quais as perspectivas para 2011? Já estamos em janeiro, e só pensamos na ressaca de ontem, no almoço em família e que esse ano queremos mais dinheiro, amores, carros, sexo, diversão. Mas e quanto à tolerância?

Sempre brigamos com nossos colegas de trabalho ou estudos, com os familiares, ou com alguém que vem nos chamar no portão. Durante o ano fica aquela “furação de olho” cada um visando o próprio bem e os demais que se explodam. Chegam as festas de fim de ano a falsidade reina... abraços e pedidos de desculpas para redimir o que passou. Sabemos que é mentira mas fingimos estar tudo bem, e vem janeiro.

Esse ano não peço que pensem só em vocês e nem que virem os maiores pacifistas e ambientalistas e rebeldes revolucionários. Mas que tenham TOLERÂNCIA com quem está ao seu lado. Me pediram isso e vou tentar cumprir, essa é a única meta minha, e não só para 2011 mas para o resto da vida, e tentar não custa nada, na verdade trás benefícios à alma e ao coração.

Como diria Renato Russo na musica acima citada...COMO SE FAZ UM RECEITA PARA A INTOLERANCIA, INJUSTIÇA vamos lá...

Pegue duas medidas de estupidez
Junte trinta e quatro partes de mentira
Coloque tudo numa forma
Untada previamente
Com promessas não cumpridas
Adicione a seguir o ódio e a inveja
Dez colheres cheias de burrice
Mexa tudo e misture bem
E não se esqueça antes de levar ao forno temperar
Com essência de espirito de porco
Duas xícaras de indiferença
e um tablete e meio de preguiça"

Então porque não mudar a receita, concertar as coisas, quebrar esse ciclo, CONVERSAR COMPREENDER, PERDOAR de verdade e ESQUECER... dizem por ai que quem vive de passado é museu, então... vamos lá mudanças, vibrações positivas e um ótimo ano... que tudo seja etern e pleno enquanto dure. xoxo

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Conto - Parte X


O lugar parecia um casarão abandonado, nevava como há muito não nevava em Paris, fazia muito frio. Pierre estacionou próximo á entrada, quando saímos do carro foi confuso, ele me puxou pelas mãos e entramos correndo, ele parecia procurar por amigos e conhecidos, nós ainda não sabíamos quem eram os vampiros mortos. Aida me seguia às pressas, mas ela também procurava. Leona veio correndo para junto de nós e me abraçou.

- Querida! Fiquei preocupada! Crianças são sempre mais susceptíveis á esses ataques horrendos.

- Eu estava com Pierre e os outros. – Leona olhava para os lados parecia preocupada com alguém. – Davi estava conosco.

- Que bom! – Ela continuava buscando alguém, aflita, seus olhos estavam avermelhados, o que indicava que ela havia chorado.

Todos pareciam buscar por alguém. Raven surgiu por trás de Pierre, eles se cumprimentaram. Leona olhou para Raven, e escondeu seu rosto, eu vi uma gota de sangue descer de seus olhos, Raven olhou-a e correu para tomá-la em seus braços.

Retiramos-nos silenciosamente para que não atrapalhássemos este momento entre os dois, eu sabia que embora Leona vivesse com Davi, era Raven que ela amava.


*************************************************************************************************

Raven procura por aqueles a que gostava na multidão, mas principalmente por Leona, sua doce e forte Leona. Primeiramente viu apenas Clarissia, também estava preocupado com ela, os novatos eram presas fáceis para lobos e caçadores, ainda não conseguiam se defender com precisão. Já havia visto Martim, e ele estava bem.

Ao cumprimentar Pierre, que obviamente estava com Clarissia viu Leona atrás da sua nova protegida, não pode segurar nenhum impulso, principalmente ao perceber que Leona também o queria. Raven passou por Pierre e Clarissia, para finalmente tomar a sua Leona nos braços.

Leona se sentiu abraçada por Raven, não conseguiu se opor á ele, apenas se permitiu sentir o gosto do seu beijo, o seu toque carinhoso no rosto.

- Eu estava tão preocupado com você! – Ele segurou o rosto dela entre as mãos e lhe deu outro beijo.

- Eu também fiquei Raven. – Ela permitiu que sua cabeça descansasse sobre o peito de Raven. – O que aconteceu Raven? O ataque foi na cidade? Foi dentro de Paris?

- Estamos investigando melhor. Ainda não sabemos como aconteceu, encontramos três corpos carbonizados, ambos com caninos proeminentes, e um deles era o corpo de uma mulher. Enquanto não lhe tivesse em meus braços não me tranqüilizaria.

- Davi me ligou e disse o que havia acontecido. Ele não me detalhou o sexo dos corpos, mas ainda assim, pensei o pior, pensei em você, você é um Prinigênie, você ajuda aquele porco! – Leona tentou se afastar de Raven, mas foi impedida.

- Eu sei o que eu sou! Sei que ao aceitar ser um eu te perdi. Leona, minha Leona, porque você não consegue entender?

- Eu não quero ao meu lado alguém tão intimamente ligado com as sujeiras da Seita!

- Eu seria condenado á morte se eu não aceitasse o cargo. – Raven estava magoado. – Leona, minha querida, você sabe muito bem disso!

- Você escolheu Villon, você o preferiu!

- Leona, não seja infantil! Você sabe muito bem das conseqüências caso eu negasse este cargo! Você se esqueceu que eu era o assassino do último príncipe?

- Eu... Eu sempre soube desta história...

- Eu também já tentei matar Villon, então quando ele assumiu o poder e soube que eu havia sido feito vampiro ele me quis bem debaixo do seu nariz.

- Porque você fez isso?

- Quando eu fiz, eu jamais imaginei que me tornaria um vampiro um dia.

- Não foi isso que eu lhe perguntei.

- Eu matava vampiros, bruxas, lobisomens, matar Villon não te parece natural? Ele havia assassinado um poderoso Barão da cidade, Barão que eu lhe devia obrigações, devo admitir que era uma vingança, mas nunca imaginei que aquele cretino era tão poderoso.

- Céus! – Leona se permitiu ser abraçada.

- Leona, você não pode continuar jogando com Davi da forma como você faz.

- Davi? – Leona deu uma gargalhada abafada, sarcástica e ao mesmo tempo triste. – Como é mesmo que Davi diz? É: “podemos nos distrair enquanto você estiver disposta.” Céus Raven! Davi só está comigo por falta de algo melhor para fazer.

- E porque você se permite essa situação?

- Eu não quero pensar em você! Eu não suporto isso!

- Meu amor, nós nos amamos! Não é justo que fiquemos assim. – Leona se desvencilhou lentamente dos braços de Raven e deu alguns passos para trás.

- Eu te amo Raven! Nunca nem por um segundo eu deixei de te amar! – Uma nova gota de sangue desceu de seus olhos de esmeralda. – Mas eu não quero ter de ficar envolvida com alguém submisso ás ordens de François Villon!

- Leona, você não pode deixar sua aversão á Villon nos separar.

- Eu o odeio Raven! Eu o odeio! Odeio o que ele me fez! Odeio que ele tenha nos separado!

- Você não precisa deixar que ele nos separe. – Raven segurou sua mão e a trouxe lentamente para perto dos seus braços, para perto de seus lábios pra envolvê-la em outro beijo. – Leona, dê uma chance para si mesma, dê uma nova chance á nós dois.

Leona deixou sua cabeça dependurada no ombro de Raven, permitindo que a cabeleira loura caísse como uma cortina sobre eles.


*****************************************************************************************

Sentamos-nos em uma pedra no jardim do casarão, Pierre e Josh improvisaram uma fogueira, Lisandra havia se unido ao nosso pequeno grupo, Davi estava sentado ao meu lado, brincando de bateria imaginária com dois gravetos.

- Davi?

- Estou te ouvindo. – Não parecia.

- Leona e Raven se acertaram.

- O que te faz ter certeza disso?

- Eu sou mulher. Eu apenas sei.

- Que bom! Esporo que ele faça a minha senhora muito feliz.

- Isso é sincero?

- Porque não seria?

- A relação de vocês...

- Era um mero passa-tempo. Tanto eu quanto Leona sabíamos bem disso. – Davi olhou para os lados. – E tem uma outra coisa, eu nunca amei nenhuma mulher ou vampira, nunca. E nem pretendo amar, nada contra quem se entregue á este sentimento, é bastante nobre, mas eu o vejo como algo que atrasa muito.

- Atrasar?

- Sim. Veja bem, você é muito boa! Você alcança uma evolução que eu demorei alguns anos pra atingir, e você já vai aperfeiçoando isso tudo em menos de um ano completo, imagine se não tivesse um amor para se preocupar?

- Acho que isso não me interferiria em nada, este é o meu ritmo. Amar ou não alguém não interfere nisso.

- Pode até ser, mas eu prefiro dessa forma.

- Mas e se acontecer?

- Se acontecer o que?

- Ora! Como o que? Você gostar de alguém?

- Não, isso não vai acontecer. – Novamente Davi olhou para os lados. – E nossa banda? Quando começamos?

- Que banda?

- A banda que vamos formar, ou você acha que um talento do seu vai ser desperdiçado?

- Mas você gosta das mesmas coisas que o Pierre não é?

- Sim.

- Davi, minha formação é para música clássica, eu não conheço bem aquele estilo.

- Que bom que você é formada em música clássica, é muito útil para você cantar o que eu te imaginei cantando.

- Eu não conheço as músicas.

- Você fala inglês?

- Sim, mas pouco.

- Tem computador?

- Sim, claro que sim.

- Ótimo! Não tem desculpas.

- Mas Davi o sotaque do meu inglês é muito forte. Não é uma boa idéia.

- Claro que é! Clair, sinceramente, que Leona e Aida não me ouçam, mas você é o que de melhor já surgiu entre nós! Você é muito boa! – Ele olhou mais uma vez para os lados, Pierre e Josh voltavam limpando as mãos em seus casacos. – Pergunte á eles depois.

- Perguntar o que?

- Ela não canta bem? Não é a melhor?

- Se não fosse assim, a Clair não seria uma Filha do Som.

- Você sabe que é a melhor! – Pierre se abaixou para me dar um beijo rápido. –Ouvi rumores de que o Villon já chegou.

- A coisa deve estar bem fora de controle pra ele sair da fortaleza protegida dele.

- Faz sentido. Um ataque de lobos dentro de Paris eu acho que isso nunca aconteceu.

- Nicolai me garantiu que não. – Era a primeira vez que Lisandra se pronunciava. – Os anciões estão alarmados.

- Ele vai falar conosco aqui fora ou lá dentro? – Perguntei.

- Acho que aqui mesmo. A Prinigênie e os xerifes nos permitiram fazer fogueiras.

O mesmo homem forte que fez a reunião no dia em que fui apresentada aos outros vampiros entrou com um microfone e uma caixa de som.

- François Villon!

Ele apenas chamou este nome e todos se calaram. Um vampiro alto, de cabelos castanhos compridos com uma capa de veludo vermelha por de cima de vestes negras entrou, eu segurei firme as mãos de Pierre, olhar aquele rosto me causou vertigem.

Aquele velho filme se passava na minha cabeça.

Eu escutei um grito horrível, aquele vampiro se jogava sobre mim, eu tentei me proteger com minhas mãos, mas ele era muito mais forte que eu, uma tola comparação de forças, uma bruxa e um vampiro. Eu gritava horrorizada e ele continuava a me agredir, escutei ainda um uivo.

- Clair? Clair meu amor? – A voz de Pierre me acalmava. Olhei para o vampiro que falava de ataques de lobos, ele havia me atacado, ou atacado Justinie.

- Pierre, eu já o vi antes!

- Como minha linda? Ele praticamente não sai.

- Eu já o vi nos meus sonhos com Justinie. – Eu tremia e minha voz saía entrecortada, olhar aquele vampiro me causava pânico.

- Fique calma meu amor. – Senti aquela familiar onda de paz me invadir, Pierre falava em meus pensamentos, me trazia calma. – Tente se acalmar agora, depois eu quero que me conte o que viu.

Eu não conseguia olhar Villon se pronunciar, ele pedia que evitássemos cassar sozinhos, pedia que andássemos em grupos de ao menos três vampiros, que por hora não viajássemos e nem nos afastássemos do centro. Ele então mencionou as mortes e o nome dos vampiros que morreram, eu obviamente não conhecia nenhum deles, mas Pierre e Josh que eram os mais antigos no nosso pequeno grupo pareceram perplexos, eu corri os olhos e enxerguei longe, Raven abraçado á Leona e Martim junto deles.

- Eram seus conhecidos?

- Não exatamente. Eram vampiros antigos. Eram Algozes e fiscalizavam as fronteiras da cidade.

O Príncipe deu as costas e saiu, senti um grande alívio com isso, Pierre me abraçou forte e segurou meu rosto.

- Eu vi tudo linda! Eu vi o que aconteceu com Justinie.

- Céus! O que ele fez com ela?

- Espero que o autor daquele uivo não tenha permitido que ele concretizasse ás más intenções.

Pierre me levou pela mão até Lisandra.

- Oi bonitinha! – Ela me saldou. – Quase não vejo vocês mais! Lua de mel eterna?

- Merecemos, não é Lis?

- Merecem sim.

- Lis, estamos indo para perto do Louvre, vamos ficar na casa da Clair, por ser um apartamento, mais seguro. È perto da sua casa, quer carona?

- Obrigada! Nicolai ficou de vir me encontrar para irmos juntos, ele estava no conselho com os outros líderes dos clãs principais e assim que acabar ele vem me pegar.

- Tudo bem.

Saímos e deixamos Lisandra sentada na varanda. Josh iria com outros como ele e Aida e Davi iriam voltar no carro da Leona que iria ficar na casa de Raven. Eu procurava por Martim. O encontrei sentado um pouco mais afastado, pedi que Pierre me deixasse ir sozinha até ele. Cheguei perto dele devagar e coloquei minha mão sobre seu ombro, ele parecia saber que era eu quem estava atrás dele, continuou contemplando á lua.

- Oi Clair.

- Como sabia que era eu? O elemento surpresa não existe entre vampiros?

- Você é sempre assim? Com um senso de humor tão evidente?

- Eu tenho de ter senso de humor, se dependesse de você...

- Era evidente que era você, por causa do seu cheiro. É um cheiro floral característico.

- O Raven já me disse isso.

- Tente nos entender, mas é impossível não te comparar com minha mãe.

- Queria te perguntar algo sobre ela.

- Pode perguntar.

- Ela conhecia o Príncipe?

- François? – Finalmente Martim me encarou e ele parecia triste. – Eu não sei com certeza, mas talvez Raven saiba, você já perguntou á ele?

- Ele estava com a Leona, não queria atrapalhar. – Martim franziu o cenho e fechou os olhos.

- Você quer mesmo saber?

- Não quero incomodar Raven e Leona, acho que minha dúvida pode esperar por um outro momento. – Eu ia dando as costas, mas senti que ele queria conversar um pouco mais. – Está tudo bem com você?

- Eu conhecia a mulher que morreu. – Ele me disse sem pensar.

- Sinto muito.

- Ela não era má. Ela também conheceu minha mãe e o Yenz também, ela o conheceu muito bem.

- Por favor, Martim, não o difame para mim. Mantenha a memória de seu pai íntegra.

- Isso é impossível! – Ele riu amargamente. – Mas Anna Belle era justa, e era muito poderosa! Não éramos os melhores amigos, mas não foi justo, a forma como aconteceu foi injusta.

- Parece que Justinie conheceu muitos vampiros.

- Nós vivíamos neste mundo. Quero dizer, ela era casada com um lobisomem, era uma bruxa, ela conhecia todos os seres sobrenaturais existentes. Tentou ser amigável com todos e quase morreu por isso.

- Se sua mãe conhecia muitos vampiros de Paris ela poder ter conhecido François, não pode?

- Não é impossível, ele começou á governar Paris um tempo depois que meu avô morreu.

- Você sabe como ele morreu não sabe?

- Sim, ele foi assassinado.

- Martim, eu não quero que você fique nervoso, por favor, me prometa que vai manter a calma. – Ele me confirmou. – E se eu disser que tenho razões inexplicáveis para acreditar que foi François Villon quem matou seu avô, e também que ele agrediu Justinie.

- Como você chegou á essa conclusão?

- Eu sonhei com a noite em que seu avô morreu e seu pai consolava Justinie, dizendo que mesmo que seu avô duelasse bem, ele seria apenas um mortal lutando contra um vampiro. E hoje, vi de forma nebulosa François Villon tentando atacar Justinie, não vi o que houve depois, mas o uivo de seu pai ecoava em minha cabeça.

- Yenz a defenderia se pudesse, isso devo assumir. – Ele deu de ombros. – François teria uma atitude mesquinha mesmo á ponto de atacar uma mulher indefesa, mas pode acreditar, nenhum vampiro seria capaz de machucar minha mãe, não por muito tempo.

- Por quê?

- Ela era uma bruxa lunar, não é bem este o nome, mas ela era regida e protegida pela lua, vampiros só atacam á noite, pois o sol, como você sabe é o nosso algoz, mas mamãe tinha influência nos raios lunares ela podia fazer com que a luz da lua se tornasse tão mortal quanto à luz solar.

- Ele não a feriu então?

- Não por muito tempo, eu asseguro. Gostaria de ter visto esta cena.

- Martim, os olhos do seu pai se iluminaram de tal forma quando ele soube que Justinie o esperava, ele te amava tanto!

- Porque está me dizendo isso agora? – Ele ficou sem expressão, mas eu estava á beira das lágrimas, me senti invadida pela tristeza de Justinie. Quando olhei para trás vi que Pierre lutava contra sua vontade de vir até mim, ele sabia e respeitava o fato de que eu gostaria de estar á sós com Martim.

Senti a paz me envolver nos braços de Yenz, como descrever tal felicidade? Um filho em meu ventre! O símbolo do nosso amor! Yenz acariciava meu ventre ainda pequeno, inicialmente eu não acreditei na Gárgula, não sentia nada que uma grávida devia sentir, mas mamãe viu a luz de outra vida em mim, Pedro também viu, eu comecei a sentir a pequena presença daquele novo ser que eu hospedava como todo o amor que eu podia e não podia dar á alguém, agora eu compreendia melhor a forma como mamãe me via, a forma como cuidava de mim, não existia nada no mundo que eu amaria mais que aquele pequenino ser no meu ventre. Yenz estava tão maravilhado, mas também apreensivo, temia que nosso filho fosse como ele, eu amaria de qualquer modo. Amor, eu me resumia ao mais puro amor, em alguns meses estaria com nosso filho nos braços.

- É engraçado, mas é um sentimentopara acreditar que foi François Villon quem matou seu avido François, nava no conselho com os outros lguro. enxerguei longe, Ra tão indescritível que tenho por ele! – Yenz segurava minha barriga com carinho, acariciando-a totalmente, beijando-me a nuca e os ombros. – Nem sei como é nosso filho, mas já daria minha vida por ele!

- És tão maravilhoso! Nosso pequeno chegará em breve e trará alegrias para nós dois, ele será uma criança de luz!

- Se vem de ti ma belle, será de luz! – Ele me virou lentamente e beijou-me com carinho. – Amo muito vocês dois! Amo mais que qualquer coisa! Morreria feliz por vocês!

- Clarissia? Por favor, diga alguma coisa. – Martim estava de pé na minha frente. Pierre me olhava apreensivo, ela já sabia que eu acabara de outra visão. Martim me soltou devagar. – Achei que fosse desmaiar.

- Você pode? Não pode? Ver minha mente como Pierre faz, entrar em meus pensamentos, se pode faça, quero que você faça!

- Posso, mas eu roubo sua energia ao fazer isso, Pierre não rouba, você vai se sentir fraca e pode passar mal.

- Não me importo! Faça! Faça, por favor. – Eu chorava. Martim não sabia exatamente lidar com essa situação e Pierre precisava se segurar em uma mesa de jardim para não vir até nós. – Faça Martim!

Martim fez com que eu me sentasse. Ao contrário de olhar fundo em meus olhos ele tomou meu punho entre as mãos e mordeu-me, senti que entrava em uma espécie de transe enquanto ele sugava meu sangue, comecei a pensar em cada detalhe do que havia visto anteriormente entre Yenz e Justinie, e de alguma forma, eu sabia, ele também via cada detalhe da minha lembrança. Eu estava fraca, minha consciência escapava de meus dedos, sentia que começaria a alçar um vôo longínquo, sim, naquele momento eu podia voar.

*************************************************************************************************

Pierre assistia á tudo, ele queria ir para junto de sua amada, mas respeitaria aquele momento sagrado entre ela e Martim. Ele respirava entrecortadamente, mas não soube se controlar quando viu que Martim bebia do sangue de sua Clarissia, aquilo não! Pierre correu para cima dele com sua velocidade sobrenatural, ele estava prestes a dar um soco na nuca de Martim quando ele se virou para ele com o rosto sujo de sangue, lágrimas de Martim se misturavam ao sangue de Clarissia. Pierre perdeu momentaneamente sua força, seu braço caiu, Martim se lançou em seu braço, Pierre não sabia o que fazer com um vampiro tão antigo que lhe pedia abrigo como uma criança que acaba de ter um pesadelo pede ao pai.

- Eu não tenho perdão! – Martim disse abafado por lágrimas.

- Do que está falando? – Pierre tentava acalma-lo com um braço envolvendo seus ombros e o outro dando palmadas de leve em suas costas. – O que você fez com ela?

- Não finja que não sabe! Foi ela quem quis desta forma. Ela tinha de me mostrar isso! E eu? Eu sou um monstro!

- Tente se acalmar! Clair precisa de nós! De nós dois! – Martim soltou Pierre e ele tomou Clarissia nos braços, estava desacordada.

Pierre viu que o sangue era pouco em suas veias, ela estava fraca demais.

- Tem sangue nessa casa Martim? Villon deixou sangue aqui?

- Eles me amavam! Ele me amava!

- Martim! Por favor, cara, você tem que me ajudar! Ela também te ama, você tem de me ajudar á salva-la!

Martim parecia delirar, Pierre se conectou mentalmente á Josh, ele estava no casarão ainda, e era o único que poderia o ajudar. Alguns instantes depois Josh estava lá.

- O que aconteceu aqui? – Pierre carregava Clarissia nos braços e Martim estava deitado na neve, na neve vermelha de sangue.

- Sangue, preciso de sangue para alimentá-la!

Josh olhou á sua volta, procurava pelas tradicionais geladeiras com bolsas de sangue sempre presentes nas reuniões da Seita, não via nenhuma perto, deixou seu espírito viajar para dentro do casarão, em uma sala viu uma geladeira com várias bolsas de sangue dentro, voltou e transmitiu a imagem para Pierre mentalmente, o amigo saberia e chegaria lá mais rápido que ele. Pierre entregou Clarissia para Josh, que apoiou sua cabeça em seu ombro e procurava limpar o sangue que Martim deixara cair e sujar o pescoço dela. Pierre não demorou a voltar, com a ajuda de Josh ele dava o sangue de beber a sua Clarissia. Eles não demoraram a dar o conteúdo de sete bolsas de sangue para Clarissia beber. Pierre se permitiu encostar-se a uma pedra e suspirou aliviado ao ver que ela recuperava sua força, logo estaria acordada.

- O que aconteceu aqui? – Josh segurava bolsas vazias de sangue nas mãos.

- Você acha que pode o fazer voltar ao normal? – Pierre apontou para Martim, deitado no chão em posição fetal e coberto de neve.

- Talvez. – Josh foi até ele, segurou seus braços e o encarou, chamava-o mentalmente, dando ordens para que recuperasse á razão. – Nossa, foi pior que pensei que pudesse ser.

Martim levantou-se lentamente, chorava baixo agora, parecia envergonhado de fazer aquilo diante de Pierre e Josh, mas não podia parar de fazer também, Josh lhe lançou duas bolsas de sangue e ele apenas as segurava, incapaz de tomar alguma atitude no momento, Clarissia ainda estava sem consciência e ele sentia-se muito culpado por isso.

- Pierre, eu sei o que eu fiz... – Começou sem jeito, Pierre o olhou, não o odiava por aquilo. Pierre não o odiava.

- Eu entendi. Eu sei o que ela te pediu, não esperei que fizesse da forma como fez, mas eu posso entender isso.

- Cara, você sabe que não pode fazer isso, você já fez isso uma vez, e não pode fazer outras vezes.

- Não venha me ensinar nossas regras seu trevosinho! – Josh ameaçou ir para cima de Martim, mas Pierre estendeu seu braço, impedindo-o.

- Deixa ele cara!

Josh concordou a contra gosto. Pierre escutou um gemido de leve no seu colo, Clarissia abriu os olhos lentamente, ele sabia que ela ainda estaria fraca e debilitada, levantou-a lentamente, escorando o rosto pequeno dela em seu ombro.

*************************************************************************************************


Eu comecei a cair do meu vôo forçado, não tinha força nas pernas, e ainda não conseguia falar, ao abrir meus olhos me deparei com Pierre, me carregando, com Josh apenas observando e com Martim, seu rosto estava muito sujo de sangue e isso me assustou, tentei levantar, mas minha cabeça pesava mais que meu corpo e se não fosse por Pierre me segurando eu teria caído no chão.

- Meus irmãos me chamam.

- Pode ir Josh. – Pierre se levantou, ele me carregava com facilidade, embora me sentisse tão pesada. – Valeu cara!

Josh saiu caminhando depois de dar um tapa de leve nos ombros de Pierre. Eu fechei meus olhos, mas estava ciente de tudo.

- Vamos? – Abri meus olhos para ter certeza se estava correta, Pierre fazia esta pergunta para Martim.

- Vamos? Como assim?

- Como assim? Você tem coragem de me perguntar? Acha mesmo que vou tirar meus olhos de você? – Ele deu um risinho. – Você vai comigo para a casa da Clair! Isso é uma ordem!

Fechei meus olhos novamente e escutei os passos de duas pessoas amassando a neve, abri novamente meus olhos ao sentir meu corpo sendo deitado no banco macio do carro.

- Tudo bem minha linda, estamos indo pra casa. – Respondi com um sorriso, não queria falar nada, tentava recordar o que exatamente havia acontecido. – Você sabe dirigir?

- Nunca precisei disso antes. – Martim respondeu.

- Cuide dela ai atrás então! – Ordenou Pierre. Martim levantou minhas pernas e se sentou, olhou para Pierre pedindo permissão para colocar minha cabeça em seu colo. – Não deixe que a cabeça dela fique balançando. – Foi assim o consentimento de Pierre.

- Você ainda a vê como uma mulher mortal não é?

- Ela sempre vai ser delicada aos meus olhos.

Pierre fechou a porta e foi para o banco da frente, começara outra nevasca, apenas mais uma em um dos invernos mais rigorosos que eu havia visto até então.




~~~~~~~> Queridos, espero que gostem, e que tenham lembrado de como era a história, agora que não tenho mais preocupações com vestibular posso me deleitar com meus dedinhos furiosos no teclado e escrever muito, muito e muito, tirando o atraso e matando a saudade...

~~~~~~~~>> Amores, eu hoje entrei bastante no mundinho mágico da White Wolf, talvez, para alguns tenha ocorrido uma pequena confusão com relação aos dons vampíricos dos meus personagens, vou passar um link que fala tudo sobre as disciplinas que vocês precisam saber:

http://racasderpgeduardoteixeira.blogspot.com

Procurem por: Vampiro: Disciplinas Sublimado; Melpominee; Auspicius, no arquivo de outubro.

~~~~~~~~~~~~>>> Mein Herr, Ich Liebe Dich!!!! 1000000000000 Küsses!!!



...A Dama da Noite...